Na imprensa

Fundos imobiliários Corum superam expectativa e fecham 2021 com ganhos de até 7%

A Corum alienou um conjunto de imóveis, na Europa, gerando uma mais valia de 29 milhões de euros, distribuídos sob a forma de dividendos pelos investidores.

 

Os fundos imobiliários do Grupo Corum ultrapassaram os objetivos de desempenho que tinham estipulado para 2021, atingindo rendibilidades que rondam os 6 a 7%, informou o grupo em comunicado divulgado esta terça-feira.

Em 2021, o fundo Corum Origin, que tinha estabelecido um objetivo de performance anual de 6%, terminou o ano com um rendimento de 7,03% e uma taxa de rentabilidade interna a 10 anos de 6,6%. Outro dos fundos disponibilizados em Portugal, o Corum XL, conseguiu um rendimento de 5,84% face a um objetivo de 5%. Já o fundo Corum Eurion, o primeiro fundo a respeitar critérios ESG (de sustentabilidade ambiental, social e governança) , comercializado em Portugal junto de investidores qualificados, obteve um rendimento de 6,12% face a um objetivo de 4,5%.

Mesmo num contexto que a empresa descreve como “de elevada incerteza”, os imóveis na carteira do Fundo Corum Origin registaram 96% de ocupação, enquanto os fundos Corum XL e Eurion atingiram 99% de ocupação, “beneficiando da política de gestão global da sociedade gestora que mantém com os arrendatários uma grande proximidade”, justifica o grupo. 

No mesmo ano, a Corum alienou um conjunto de imóveis, na Europa, gerando uma mais valia de 29 milhões de euros, distribuídos sob a forma de dividendos pelos investidores dos fundos Corum Origin e Corum XL.

Em paralelo, foram adquiridos imóveis em diversos mercados, nomeadamente em Portugal, com a aquisição do centro logístico ocupado pela Nobre em Rio Maior, e de um escritório no Green Park, em Lisboa, sede da Unicre.

O grupo Corum terminou 2021 com cerca de 5 mil milhões de euros de ativos sob gestão, dos quais 4 mil milhões nos três fundos imobiliários, contando com mais de 70 mil investidores.

 

Fonte: Expresso

Partilhar