Na imprensa

Corum captou mais de 500 milhões de euros em 2020

Os fundos da Corum captaram 509 milhões de euros em 2020 entre 11 mil clientes, indica a Corum Investments em comunicado. Uma capacidade de atração explicada pela resiliência dos investimentos imobiliários da gestora de investimentos francesa perante a crise provocada pela pandemia de Covid-19.

Presente em Portugal desde 2019, a Corum Investments pouco sentiu os efeitos da pandemia. O “impacto da Covid-19 nas rendas foi marginal, tendo reduzido a rentabilidade anual do Corum Origin em apenas 0,08% [para 6%] e do Corum XL em apenas 0,04%”, para um retorno anual de 5,66%. Também a taxa de ocupação gerida por ambos os fundos manteve-se num nível “elevado (taxa de ocupação financeira superior a 98%)”.

No comunicado, a empresa elogia a “proximidade que mantém com os seus inquilinos”, permitindo a identificação das necessidades dos arrendatários para assim se evitar incumprimentos. Além do mais, os contratos feitos pela Corum são maioritariamente de “longo prazo” e com pessoas “com grande capacidade financeira”.

O ano de 2020 da Corum foi ainda marcado pelo primeiro investimento fora do continente Europeu. A sociedade adquiriu uma propriedade industrial em Montreal, na província do Quebeque, Canadá. Trata-se de um investimento de mais de 16 milhões de euros e o edifício é ocupada por uma farmacêutica.

No total, em 2020, a sociedade investiu cerca de 680 milhões de euros.

De acordo com a nota enviada esta terça-feira, a “Corum fechou o ano com quase 4 mil milhões de euros de ativos sob gestão e perto de 60 mil acionistas”.

José Gavino, diretor da Corum em Portugal, refere, citado em comunicado, que de momento têm “ativos em setores como a logística e supermercados a valorizar, e ativos como os hotéis a desvalorizar” por causa da pandemia. Ainda assim, e apesar das incertezas, espera “uma recuperação económica mais forte a partir da primavera [de 2021]”.

 

Fonte: ECO

Partilhar