Na imprensa

Fundos Corum captaram mais de 500 milhões de euros em 2020

No ano passado, os seus fundos continuaram a apresentar desempenhos sólidos e excederam, uma vez mais, os objectivos fixados. Os fundos comercializados em Portugal, o Corum Origin e o Corum XL, registaram performances de 6% e 5,66%, respectivamente.  

Apesar das consequências da pandemia da Covid-19, a taxa de ocupação dos imóveis, detidos e geridos por ambos os fundos, manteve-se a um nível muito elevado (taxa de ocupação financeira superior a 98%), e a taxa de cobrança de rendas esteve próxima do normal.  

O impacto dos efeitos da Covid-19 nas rendas foi marginal, tendo  reduzido a rentabilidade anual do Corum Origin em apenas 0,08% e do Corum XL em apenas 0,04%.  

José Gavino, director da Corum em Portugal salienta que "num ano sem precedentes, a Corum mereceu a confiança dos investidores europeus, que nos permitiram angariar mais de 500 milhões de euros. Oferecer novas soluções de poupança foi um elemento chave da nossa estratégia para satisfazer as necessidades e exigências dos aforradores. A satisfação dos nossos clientes é a nossa prioridade, tanto em termos de desempenho, serviços e diversidade de investimentos".  

O responsável acrescenta ainda que "2021 oferece perspectivas mais tranquilizadoras em termos de saúde. Esperamos uma recuperação económica mais forte a partir da primavera, mas vamos acompanhar de perto as incertezas ligadas à COVID-19 e ao calendário de vacinação. Neste momento temos ativos em setores como a logística e supermercados a valorizar, e ativos como os hotéis a desvalorizar". 

No ano passado, os fundos da Corum investiram cerca de 680 milhões de euros e, pela primeira vez, foi realizado um investimento fora do continente europeu. O Corum XL adquiriu uma propriedade industrial localizada na área da Grande Montreal, na província do Quebeque.

O investimento superou os 16 milhões de euros e o edifício é ocupado por uma farmacêutica. 

A Corum fechou ainda o ano com quase 4 mil milhões de euros de activos sob gestão e perto de 60 mil acionistas. 

 

Fonte: Diário Imobiliário

Partilhar